brazino777 - dirigimos o SUV de 7 lugares que acaba de chegar renovado no Brasil

0

Modelo tem visual inspirado no Q8 e aposta na tecnologia, conforto e exclusividade para conquistar clientes. Audi Q7 2021 parte dos R$ 415 mil

Audi Q7 adota nova linguagem visual da marca (foto: Thiago Ventura)


Thiago Ventura

São Paulo (SP) * Em pré-venda desde julho, a Audi lançou oficialmente nesta semana no Brasil a linha reestilizada do Q7, seu maior veículo utilitário-esportivo (SUV) e único modelo com sete lugares. O Audi Q7 2021 adota a nova linguagem visual da marca alemã e, em seu interior, exibe várias telas multimídias. O carro tem preço inicial de R$ 414,9 mil e oferece uma série de pacotes de personalização e acessórios, inclusive cores especiais que custam mais de R$ 36 mil. O modelo tem motor 3.0 V6 a gasolina de 340 cv e ganhou um sistema híbrido leve.

Para marcar a estreia do SUV de grande porte e do seu segundo modelo 100% elétrico no Brasil, o e-tron Sportback, a marca das quatro argolas promove o Audi Sky Experience até o próximo domingo (27). Os dois modelos poderão ser experimentados numa pista montada no topo do topo de Morumbi Shopping, em São Paulo (SP), numa ação exclusiva para cerca de 150 clientes pré-selecionados.

Voltando ao novo Audi Q7 2021, o veículo ficou mais bonito nessa mudança visual. Na dianteira, destaque na grade chamada Singleframe octogonal, com seis linhas verticais em sua estrutura, estilo que estreou no Q8 e que já está sendo aplicada em toda a gama de produtos.

O elemento é ladeado pelos faróis de LED. Na lateral, linhas expressivas e entradas de ar renovam o visual, enquanto a traseira ganha uma nova faixa cromada, que liga as duas lanternas em LED. O Audi Q7 2021 mantém a pegada SUV clássico grandão, com a terceira janela lateral muito pronunciada, já que abriga sete passageiros; o resultado final é elegante, mas sisudo. Contudo, tem seu público cativo de quem quer levar muita gente com luxo. O modelo tem 5.06 m de comprimento, 2.99 m de entre-eixos, 2.21 m de largura e 1.74 m de altura. O peso do veículo é de 2.275kg.

Na parte interna, o SUV também embarca na onda a digitalização e é um dos pontos chave do carro. A Audi trata o painel com o conceito de ‘digital soft’, ou seja mesclando o uso de materiais agradáveis ao toque e acabamento primoroso com três telas.

Em todas as versões, o Audi Q7 2021 vem com quadro de instrumentos totalmente digital, o Audi Virtual Cockpit, que é uma tela de alta resolução de 12,3 polegadas. O dispositivo é configurável e pode exibir o mapa ou outras informações do veículo ou mídia. Na parte central, o SUV tem duas telas, a superior destinada ao sistema multimídia com tela de 10,1″ e a inferior de 8,6″ para os controles de climatização, totalmente digitais e que na versão topo de linha é de quatro zonas.



O acabamento é primoroso com uso de plástico agradável ao toque, alumínio e couro. Desde a versão de entrada, vem com mimos aos aos ocupantes como bancos dianteiros com ajuste elétrico, iluminação ambiente e carregador de celular por indução. Tem smart entry com partida por botão e chave presencial pode ser guardada em nicho próprio num porta-trechos no console central. Próximo dele, freio de estacionamento elétrico com auto hold e o joystick para ajuste da transmissão, pequeno e elegante.

Na versão S line, o Audi Q7 2021 ganha o teto solar panorâmico ‘Open Sky’ e a câmera 360º com park assist, que estaciona o carro sozinho. São itens que fazem toda a diferença, além dos importantes controle de cruzeiro adaptativo (ACC) com assistente de mudança de faixa e o assistente de farol alto. No visual, a versão topo de linha tem mais detalhes em preto e soleiras em alumínio iluminadas. Faz falta no modelo sistema de WiFi nativo, hoje presente em modelos compactos.



Com os sete bancos em operação, o carro oferece 259 litros de volume no porta-malas. Contudo, o espaço cresce para 720 litros com cinco lugares e chega aos 1925 litros de capacidade com rebatimento da segunda e terceira fileiras de bancos. A tampa do porta-malas tem abertura e fechamento elétrico e pode ser operada com movimento dos pés.

Conjunto híbrido leve


Nas duas versões, o Audi Q7 2021 é equipado com o motor 3.0 V6 TFSI de 340 cv a 5.000 rpm e torque de 500 Nm com apenas 1.370 rpm, acoplado com a transmissão Tiptronic de oito marchas. A tração é integral quattro. Segundo a marca, faz de 0 a 100km/h em 5,9 segundos com velocidade máxima limitada eletronicamente em 250 km/h.

O interessante desse conjunto é que ele vem com um sistema híbrido leve:
o Q7 conta com uma bateria de íons de lítio e um alternador de correia em um sistema elétrico primário de 48 volts. O veículo pode se deslocar em velocidades entre 55 e 160 km/h com o motor desligado e, em seguida, o alternador de correia reinicia o propulsor de forma rápida. Além disso, o sistema start-stop desativa o motor em velocidades até 22 km/h, reduzindo a emissão de CO2.



Eu dirigi o Audi Q7 2021 da capital paulista até Araçariguama (SP), num trecho de aproximadamente 50 quilômetros. Logo na saída do prédio da Audi, um empecilho urbano para quem tem um SUV de grandes dimensões: uma saída em curva na cancela exigiu bastante atenção na manobra. Na sequência do tráfego da cidade na marginal Pinheiros, o porte e imponência do veículo garantiu um trafegar sossegado.

Na estrada, dentro dos limites da rodovia, deu para sentir bem o fôlego de sobra do SUV de sete lugares. Ao menor pisar no acelerador, o V6 responde de prontidão, garantindo retomadas seguras e vigorosas. A arrancada após a um posto de pedágio também deixou boa impressão, concluindo que o conjunto é adequado para um carro de mais de 2.2 mil quilos. O acerto de suspensão e a tração integral garantem a segurança nas curvas, requisito necessário para um SUV com vocação familiar, mas com motor nervoso.



Audi Q7 2021: versões, preços e equipamentos

Audi Q7 3.0 TFSI – R$ 414.990
Principais itens: carregamento de celular sem fio pelo Audi Phone Box Light, ar-condicionado de duas zonas, bancos dianteiros elétricos e com memória para o motorista, porta-malas com abertura elétrica e sistema de hands-free, acabamento das soleiras e longarina do teto em alumínio, frisos decorativos cromados, faróis de LED e seis airbags – dois frontais, dois laterais para os bancos dianteiros e dois de cortina que se estendem da primeira até a terceira fileira de bancos.

Audi Q7 3.0 TFSI S line – R$ 459.990

Todos os itens de série da versão de entrada mais rodas 21”, teto solar panorâmico, ar-condicionado de quatro zonas, câmera 360 graus, pacote ACC (composto por controle de cruzeiro adaptativo, assistente de saída de faixa e Traffic Jam Assist) e pacote visual S line.



Opcionais e personalização


O Audi Q7 2021 vem com uma série de opcionais e pacotes, alguns com preços bem salgados. Na versão topo de linha, é possível escolher dois pacotes como opcionais: o Black, que custa R$ 18 mil, vem com rodas 21” com detalhes na cor preta, frisos decorativos e capa do espelho retrovisor em preto brilhante, longarina e teto do interior em preto) e o pacote S line com bancos superesportivos, com assentos dianteiros em couro Valcona. Esse último custa R$ 40 mil.

Como opcionais disponíveis para ambas as versões estão: pacote Side Assist, por R$ 20 mil, (Audi Side Assist, Exit Warning Assist, Assistente de Tráfego Reverso, Audi Pre sense dianteiro e traseiro), pacote S line interior com bancos esportivos (R$ 19 mil), head-up display (R$ 14 mil), suspensão adaptativa a ar (R$ 22 mil), faróis Full LED Matrix (R$ 10 mil), eixo traseiro dinâmico (R$ 13 mil: rodas traseiras giram até cinco graus na direção oposta), pacote de luzes internas com possibilidade de customização em 30 cores (R$ 4 mil), Night Vision Assist (R$ 24 mil) e sistema de som Bang&Olufsen (R$ 11 mil).

As cores branco Geleira, prata Florete, preto Orca e preto Noite são comuns para ambos, mas cada versão possui outras três variações: na de entrda é possível escolher também azul Galáxia, cinza Samurai e branco Carrara, enquanto na S Line estão disponíveis azul Navarra, cinza Daytona e vermelho Matador. Além dessas, o cliente pode escolher cores exclusivas bicolores, ao custo de R$ 36 mil.

*Jornalista viajou à convite da Audi do Brasil